segunda-feira, 21 de julho de 2014

A JEIF- por Cibelle, Sonia Caires, Aline e Cassia












   Entrevista coletiva com Padre Jaime, do Destrido do Jd. Ângela

Perguntas feitas pelos alunos:

 
 Por favor, agora responda com uma palavra:
 
Imprensa Jovem :Uma comida…
 Pe Jaime: Feijão.

IJ :Um filme…
PE Jaime: A cidade de Deus.

IJ :Um livro…
PE Jaime: A Bíblia.

IJ :Uma música ou um cântico…
PE Jaime: Hino Nacional.

IJ :Maior força…
PE Jaime: Meu povo.

IJ :Uma fraqueza…
PE Jaime: Medo.

IJ :Os jovens...
PE Jaime: Coragem.

IJ :A família...
PE Jaime: Amor

IJ :A infância...
PE Jaime: Carinho.

IJ :Os adolescentes...
PE Jaime: Paciência.

IJ :Os adultos...
PE Jaime: Coragem.

IJ :Os idosos...
PE Jaime: Calma.

IJ :A violência...
PE Jaime: A paz.

IJ :A saúde...
PE Jaime: Atenção.

IJ :A moradia...
PE Jaime: Projeto.

IJ :O transporte público...
 PE Jaime: Metrô.

IJ :A cultura...
PE Jaime: Teatro.

IJ :Saudades...
PE Jaime: Viver bem.

IJ :O Jd. Ângela...
PE Jaime: Desenvolvimento.

IJ :Jesus Cristo...
PE Jaime: Salvador!
















PROJETO IDENTIDADE



                                  História do meu bairro
http://blogpontodeonibus.files.wordpress.com/2013/03/7373280694_8b0ea12473_k.jpg


   No projeto História do meu bairro, todos os alunos da Imprensa Jovem irão participar da montagem do mesmo, através de gravações de áudio, vídeo e levantamento de dados. Fotografias, entrevistados e historias serão compartilhados com várias pessoas. Mas para isso, todos nós precisaremos investigar todas as memórias do bairro, e não será pouco trabalho.
    Cada parte está separada em grupos, tendo assim o pessoal do roteiro e da filmagem, que ainda se divide em tarefas para entrevistar, avaliar, escrever e finalmente montar tudo isso.
 
                                                  O que pretendo…
 
  • Entrevistar pessoas com mais idade, com mais convivência no bairro e mais experiência no assunto.
  •  Encontrar fotografias antigas e vestígios de velhas maneiras.
  • Manter uma boa postura, sempre mostrar que o assunto é levado á serio.
  • Manter o vídeo e roteiro atraentes, ou seja, boa escrita, imagens de excelente visualização e narrativa nos vídeos de ótima qualidade.
  • Perguntas bem elaboradas, objetivas e claras, sem fugir do  conteúdo.
  • Boa organização no momento da montagem.
 

. Com a cooperação de todos,  esse projeto ficará excelente. Quando citam o nome do nosso bairro Jd. Ângela, passam imagens na cabeça das pessoas de violência, drogas e outros males. Queremos mostrar em nosso projeto o distrito do Jd. Ângela mudou. Duas entrevistas com pessoas muito importantes para o bairro já foram marcadas. Primeira entrevista será com  o Padre Jaime, que ajudou e ainda ajuda em muitos projetos para do bairro. A diretora da Escola Municipal Oliveira Viana, Jucileide Rodrigues Mauger será entrevista nos próximos dias… confira no nosso blog.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Projeto Identidade saindo forno...

Olá, meu nome é Fernanda.
Eu e minha amiga Kemily falaremos, hoje, sobre o nosso bairro!
Fizemos uma entrevista com alguns moradores do bairro e que trabalham aqui no CEU.

A entrevista foi feita para saber os pontos positivos e negativos do bairro em torno da escola.

As pessoas entrevistadas são das equipes de limpeza e da cozinha, são elas Isaura, Joana, Maria Do Carmo, Tatiane, Adriana, Lucia e Elijane. 

Disseram-nos que o bairro não tem atendimento médico, não tem iluminação adequada, principalmente no CEU, e faltam faróis de trânsito.

Os pontos positivos são: a construção do CEU, onde conseguimos fazer atividades diárias como aula de dança e natação.

Descobrimos que mesmo as pessoas não tendo condições de morar em um lugar melhor, elas dão valor ao que elas têm essas pessoas se sentem felizes por ter onde morar, dormir e comer. O sonho da maioria delas e morar em um lugar seguro e mais tranquilo. Mesmo assim elas conseguem ser felizes aqui no bairro, mesmo não sendo o bairro dos seus sonhos.

Repórter Mirim
Fernanda Elloise Souza Santos do 4ano A

Imprensa Jovem e o Projeto Identidade

Estamos colhendo informações por meio de entrevistas, acerca do lugar onde moramos e estudamos. 

Veja algumas informações descobertas ontem com os funcionários do CEU:

Ontem,  dia 30/06/2014,  fizemos  uma pesquisa sobre o nosso bairro por meio de entrevistas. Por que queremos saber  mais sobre o lugar onde moramos .

Entrevistamos pessoas que nos disseram pontos positivos e negativos a respeito do nosso bairro.

"O Bairro é um lugar bom e gostoso de morar,por causa da natureza que ainda existe por aqui. Não gostamos de pessoas fofoqueiras e o transportes públicos são precários. E gostaríamos de mudar a desorganização das moradias e diminuir os maloqueiros da rua."

 ................

  • O que descobrimos sobre o bairro onde moramos ?

Descobrimos que o nosso bairro não é perfeito mas também tem coisas boas como qualquer outro. Porque nenhum bairro é perfeito.

  • O que nós achamos do nosso bairro onde moramos ?


Kenna :             lado positivo : lojas por perto, parques .                lado negativo: cachorros abandonados, muito barulho, muita bagunça, poucos postos de saúde,mal atendimento nos hospitais, etc.…

Beatriz :          lado positivo : parques, docerias, lojas.                        lado negativo: muito lixo na rua, violência, funk até amanhecer com muito barulho e falta de atendimento medico.

                                              Beatriz Silva e Kenna Carvalho
                                              Imprensa Jovem

segunda-feira, 9 de junho de 2014

O Grande Retorno

Após um longo tempo parados, as aulas retornaram no dia 04/06E após a grande luta pelas requisições dos professores, que entraram no fim da greve após conseguir um aumento de 15% no salário que serviriam de forma para alguns dos bens que arrecadariam da greve, entre eles diminuir o valor de 20 alunos por sala, evitar que a cota de 5 alunos especiais por sala fosse cumprida, entre outras requisições.

Se concentrando no retorno, agora com a luta finalizada, haveria ainda outro problema: a reposição das aulas que foram perdidas enquanto a greve ocorria. Foram aproxidamente perdidas cerca de 20 aulas para o Fund I. e 25 para o Fund II. que poderão tentar repor em alguns sábados, mas ainda não saiu a decisão final.

Em minha opinião como repórter mirim, das escolhas que tinham (Seriam elas 1- Continuar até o final do ano e ainda repondo aos sábados sem pausa ou 2- Continuar repondo e as aulas normais,  sendo que haverá um pequeno recesso dos dias 19 de junho à 29 de junho e em seguida retornam as aulas e as repoisções aos sábados), eu escolheria a opçãop  de dar uma pequena pausa para deixar os alunos e professores descansados e  preparados para o retorno, pois apesar  dos alunos terem ficado em casa neste período, foram poucos os que se adaptaram e conseguiram relaxar, sem falar nos que viajam em junho,  tanto alunos como professores.

Aluno Repórter: Diego Campos 9° C

sexta-feira, 11 de abril de 2014

O que eu aprendi com Marcos Lopes



Eu entendi o que o Marcos e o Alex explicaram sobre as drogas. As pessoas que usam sentem fome, sede, tristeza e muita solidão, porque você tem o dinheiro para comprar um lanche, mas você prefere a droga. Isso é o vício!  Tem o dinheiro para comprar um suco ou uma água, mas você prefere a droga.

Eu nunca vou colocar uma droga na minha boca porque não dá para viver, a droga não deixa você sorrir e você perde o amor de qualquer um, principalmente de MÃE.

Mesmo que me zoem eu nunca vou colocar a droga na boca, muitas pessoas vão para o abismo das drogas porque largam o estudo. Eu não quero isto para mim...

ALUNO REPÓRTER MIRIM
Richard do Couto Ferreira
Imprensa jovem

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Marcos Lopes na EMEF Mario Fittipaldi





                      A  entrevista com Marcos Lopes e Alex  foi muito interessante.
                     Foi um sucesso e as perguntas que os alunos da imprensa jovem fizeram. As respostas que eles deram também. E foi muito bom eles terem  falado sobre as pessoas que usam drogas porque tem muita pessoas sendo usuárias de drogas .
                  O projeto sonhar foi uma boa ideia que eles tiveram de ajudar pessoas  que estão  no mundo das  drogas, estragando a vida.  Eu já sabia que a droga não era coisa muito boa,  mas  hoje eu  aprendi mais.
                 O Marcos disse que quando ele vivenciava o mundo das drogas não era feliz porque a droga não traz felicidade para ninguém só traz tristeza, e hoje ele tem a maior felicidade do mundo por não fazer parte deste mundo cruel e solitário.

Repórter Mirim: Larissa 7°D  Imprensa Jovem

Obrigado por sua visita!

Você já esteve aqui